Buscar
  • Renata Freitas de Camargo

Produzir peças plásticas em baixa escala é possível?



A produção de baixo volume é um recurso que auxilia empresas (como startups) a iniciarem seus projetos com velocidade e investimento mais baixo. Neste tema de escala de produção de baixo volume pode-se pensar em algumas alternativas que a Fastparts vem oferecendo ao longo de suas duas décadas.


Os sistemas de produção convencional ainda estão circunscritos aos modelos que não permitem flexibilizar e usar alternativas que podem compor peças de manufatura aditiva, vacuum casting e lotes de peças injetadas em soft tooling.


A indústria 4.0 está modificando os conceitos para integrar e usar estas tecnologias tanto de impressão 3D como outras. Em um ambiente de tecnologia, esta implementação faz muito sentido até porque muitos modelos de negócios ainda estão em análise de laboratório ou até mesmo em pesquisa com o consumidor.


Qual a quantidade de peças para a denominada baixa escala?


Esta questão sempre permeia nossos bate-papos na hora de formar a cotação dos projetos. Dependendo da quantidade e aplicação, temos algumas alternativas para apresentar:

  • Impressão 3D: se o material impresso for homologado e testado pelo cliente é feita a análise do tamanho da peça e do volume desejado. Assim é possível compor uma oferta, mas dependendo da quantidade pode-se pensar em Vacuum Casting.

  • Vacuum Casting: um recurso interessante no qual a peça injetada é em polímero de Poliuretano e que, se homologado pelo cliente, pode ser aplicado na produção de peças. O molde que é feito de silicone tem condições de injetar diversos tipos de resina e com capacidade de injetar até 50 peças dependendo da geometria e tipo de resina.

  • Rapid Tooling: este molde, que as vezes chamamos de molde protótipo, pode ser chamado de molde de baixo volume. Neste sistema é possível injetar qualquer resina de plástico de engenharia. Se o molde ficar aos cuidados da Fastparts, pode-se chegar de 10 mil até 30 mil peças


Como se desenvolve o processo de Rapid Tooling?


O cliente vem com uma necessidade inicial de fazer algumas peças, as quais podem ser executadas pelo processo de impressão 3D. Ao evoluirem as demandas do projeto, o cliente em algum momento necessitará de peças para validá-lo. Com esta necessidade, se o projeto não pode ser impresso em 3D, oferta-se o molde.


Devido às característica do molde, precisamos envolver nosso time de orçamento. As peças que serão executadas podem necessitar de um molde mais simples ou com mais otimização para se ter uma ótima repetibilidade.


Para um molde que necessita de volume mensal de 1.000 a 10 mil peças, nossa orientação é que ele já tenha um estudo mais aprofundado e tenha também todas as análises de injeção (e se for o caso é um molde que terá todos os acessórios que um molde definitivo tem).



Onde são executadas as produções das peças?


Neste ano investimos em uma injetora de 170 toneladas exatamente para atender as demandas de produção de pequenos lotes. Essa injetora vai dar mais velocidade ao processo de construção das peças.


Por agregarmos tecnologias, empresas de tecnologias do agronegócio, equipamentos médico hospitalar, automotivo e eletrodomésticos encontram na Fastparts um time de profissionais competentes, e com apoio de tecnologias fazem o processo acontecer.


A região de Joinville, onde estamos instalados, possui como base de negócios a indústria metal mecânica. Com ela se desenvolveu um apelo expressivo de empresas na construção de moldes de injeção e de transformação de plástico. Como a Fastparts está inserida também neste ambiente, usamos muito o que este arranjo local produtivo oferece.



Se o produto requer uma montagem, é possível fazer?


Com um perfil de empresa de base tecnológica, temos uma equipe de profissionais que está apta para elaborar as montagens das peças.


Se o produto requer uma montagem de placas eletrônicas, temos uma área específica para a montagem dos produtos, os quais são embalados e enviados ao cliente. Também executamos produtos que necessitam de algum detalhe de serigrafia ou etiquetagem.


Ao longo da atuação da Fastparts muitas coisas aconteceram e marcaram a história dos negócios do Brasil. Passamos por projetos que deram a capacidade que temos hoje de oferecer aos nossos clientes eficiência e qualidade nos serviços prestados. Na ampla abordagem dos serviços que já passam por nós, podemos contribuir para que os produtos executados sejam feitos com exímia habilidade dos profissionais.


Visitando uma indústria de autopeças no Paraná, com sua matriz na Alemanha, vimos na revista global da empresa que o projeto para 2025 é de já ter na linha de montagem uma impressora 3D de metal e de plástico. O que ficou claro nesta reportagem é que a integração de peças de injeção de plástico com peças impressas em 3D vai fazer parte da produção desta companhia global com matriz na Alemanha.


Mas você não precisa ir para Alemanha em 2025 para ver isso de perto. Você pode entrar no site da Fastparts e marcar um encontro para conhecer as tecnologias que são integradas tanto em pequenos lotes de produção como em lotes de média escala.


Nosso time está pronto para atendê-lo e dar a melhor solução para o seu projeto. Entre em contato.

9,269 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo